26 novembro 2005

Carta ao Pai Natal

Já falta menos de um mês para o Natal, chegou a hora de fazer a minha carta ao Pai Natal. Atendendo ao conteúdo da carta o meu interluctor com o Pai Natal recomendou-me que publicasse a carta no blog, pois só assim poderia ver o meu pedido ser atendido.

Pai Natal:
Esta carta carta é um pouco atípica, eu não venho pedir determinadas coisas, venho é pedir para o Pai Natal não se lembre de me pôr no sapatinho outras coisas.
Como deve estar bem recordado ultimamente as minhas prendas são temáticas. Há uns anos as renas estacionaram na Loja Verde e trouxeram tudo o que lá havia (não gostei, se fosse uma só peça ainda vá agora as prendas todas parecidas). O ano passado pararam numa grande superfície e o saco que ia para minha casa estava cheio de tachos, panelas, candeeiros e outras tretas para a casa, ou seja para a casa tudo para mim nada.
Por favor Pai Natal, eu não peço muito apenas peço que se lembre de mim, que este gajo também é gente. Pronto se quiser oferecer coisas para a casa, tenho a certeza que ela agradece, mas lembre-se de mim, nem que seja um bocadinho só.

1 Comments:

Anonymous Pai Natal said...

Acabei de ler a tua carta, Diogo.
Não tenho muito tempo para estas modernices da internet. Andei a despachar primeiro a correspondência tradicional.
Para atender ao teu pedido tenho primeiro de saber se comeste a sopa, o bife, o peixe, todos, ou melhor, todas as sopas, sem torcer o nariz, o bife, sem ser o da Lusitana com ovo a cavalo, o peixe, sem ser o bacalhau com natas...
Preciso também de saber se arreliaste o teu papá e a tua mamã, se brigaste com o teu mano, etc.
Vá lá Diogo, eu sou um Pai Natal à séria, com barbas, barriga e tudo, preciso de saber tudo.
Um abraço hohoho

10:10 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home